Mais observações sobre a mecânica da valorização no Cartola

.

Olá amigos cartoleiros. Chega a terceira rodada, e com ela muitas dúvidas sobre o sistema de valorização de jogadores no Cartola. Antes de mais nada, devemos fazer um balanço do que foi estabelecido aqui na rodada anterior. Como todos puderam observar, o comportamento do algoritmo de flutuação de preços caminhou dentro das tendências que apontamos. Se você perdeu a matéria anterior, clique aqui e veja o tópico da segunda rodada. Leitura obrigatória para quem ainda não entendeu as valorizações apresentadas após a reabertura do mercado.

Como havíamos estabelecido, apesar da desconfiança dos mais incrédulos, jogadores que sofreram alta valorização na primeira rodada, deveriam apresentar tendência à valorização também na segunda rodada. E jogadores que sofreram alta desvalorização na primeira rodada, deveriam apresentar tendência à desvalorização também na segunda rodada. Pudemos verificar o acerto do nosso estudo com os dados expostos na reabertura do mercado, e os casos mais emblemáticos, que atenderam às nossas expectativas foram: Wilson - goleiro do Figueirense, e Marquinhos Paraná - meia do Cruzeiro.


Mesmo com a estrondosa valorização da primeira rodada, o goleiro Wilson do Figueirense continuou valorizando, apesar da baixa pontuação obtida nessa segunda rodada. No caso do Marquinhos Paraná do Cruzeiro, o efeito inverso, com desvalorização na segunda rodada, apesar da alta desvalorização já ocorrida na primeira rodada. Notem que o meia do Cruzeiro até teve uma pontuação regular, mas que não reverteu sua queda de preço.

E o que muda agora em termos de valorização de jogadores para a terceira rodada? Quase nada! Afinal, o algoritmo matemático do Cartola é o mesmo em todas as rodadas, da primeira à trigésima oitava. Ainda poderemos notar viés de alta ou queda em jogadores que apresentaram alta valorização ou desvalorização nessa segunda rodada. O que muda, é que o preço médio e a média de pontos do jogador começam a ser consolidados, e dessa forma, as variações de preço começam a ser tornar menos drásticas.

No ano passado foram criados diversos programas para estimativa de ganho de cartoletas. Colocando dados, como valor do jogador e média de pontos, era possível estabelecer quantas cartoletas um jogador poderia ganhar, em função de uma pontuação razoável (estimada) para ele na rodada. Aqui no Cartoleiros foi apresentada uma versão do programa, que atendeu às expectativas com uma margem de erro considerável. Porém, ressalto que nenhum destes programas foi totalmente certeiro em relação ao comportamento da flutuação de preços, e alguns apresentaram bons resultados somente nas primeiras rodadas. Coloco isso pois verifiquei que o post do ano passado, que continha o link de um dos programas, foi altamente acessado nessa semana, provavelmente através de buscas pelo Google. Em função disso, é importante frisar: o programa para ganho de cartoletas apresentado aqui no ano passado não é de responsabilidade nossa. Foi criado por terceiros e apresentado como parte de um pré estudo das questões de valorização ocorridas no ano passado, quando foi implementado o algoritmo de preços vigente no Cartola. Resumindo, não recomendo a utilização de programas! É mais válido tentarmos entender o real comportamento da flutuação de preços através de observações durante as primeiras rodadas, e não procurar uma calculadora mágica que possa prever ganho de cartoletas.

Nesse momento, os cartoleiros que precisam aumentar o patrimônio, ou ainda, não perder as cartoletas conquistadas a duras penas, devem se atentar que:

1) Jogadores com extrema desvalorização na segunda rodada podem manter a tendência de desvalorização na terceira rodada. Da mesma forma, jogadores com extrema valorização na segunda rodada podem manter a tendência de valorização na terceira rodada.

2) Não sabemos em que exatas proporções influem o preço médio, a média de pontos e a pontuação da rodada no cálculo do preço final do jogador. À medida que o preço médio e a média de pontos do jogador forem convergindo a uma determinada faixa, a tendência é que a (des)valorização do mesmo seja muito influenciada pela sua pontuação na rodada. Acredito que, dentro de pouco tempo, a pontuação na rodada seja a grande responsável pela flutuação dos preços.

3) Jogadores estreantes, com baixo preço e boa probabilidade de pontuação, são ótimas fontes para ganho de cartoletas pois seguem a tendência da primeira rodada.

4) Jogadores não estreantes, baratos e com média de pontos próxima (numericamente) ao seu preço, possuem grandes chances de valorização em caso de boas pontuações.

Isso colocado, vamos à uma questão muito importante, e que considero primordial para quem quer ganhar cartoletas. Tudo o que colocamos aqui não terá validade se os jogadores escolhidos não pontuarem bem. Portanto, antes de qualquer coisa, é preciso pensar em escalar jogadores que tenham reais chances de pontuar. No meu ponto de vista é equivocado, por exemplo, escalar um jogador que tenha tendência à valorização (pelos seus números atuais), se ele vai encarar um jogo muito difícil nessa terceira rodada. Ele pode até não desvalorizar, ou ainda valorizar uma migalha, mas grandes ganhos com ele serão mais difíceis. Se você busca ganho de cartoletas, tente unir o útil ao agradável. Busque apostas com chances de ganhos maiores, que virão atrelados a uma boa pontuação.

Não existe mágica, e às vezes pode não existir lógica. A mecânica da valorização, que tem sua fórmula guardada a sete chaves, nos faz caminhar na penumbra. Então, um passo de cada vez para não tropeçar naquilo que não se vê. Sobre obter boas pontuações, entendo que é uma questão de empenho, observação e sorte. Quando escalamos, antes de mais nada, estamos fazendo apostas. E apostar não significa ganhar! De qualquer forma, entender a matemática do jogo facilita as coisas, e esse é o nosso papel. A grande sacada do Cartola está em proporcionar uma mistura de sensações, da euforia à raiva, que nos empurram a fazer melhor a cada rodada. Essa é a graça do jogo! Busque o crescimento do seu time, mas jogue acima de tudo pelo prazer. O resto é consequência.

Estarei novamente respondendo aos comentários na medida do possível, e lembro aos amigos que não faço análise de times nessa coluna. Este espaço é para discutirmos comportamentos e não situações individuais de jogadores. Gostaria, aproveitando mais essa oportunidade, de pedir a ajuda de todos na votação do prêmio Top Blog 2011, onde o Cartoleiros concorre na categoria Games. Clique aqui e deixe seu voto. Sua ajuda faz o nosso trabalho melhor. Muito obrigado!

............................................................................................................................................................