Mulheres no Cartola FC: entenda como elas pensam antes de escalar



Saudações, cartoleiros!

Uma das perguntas cuja resposta levou muitas pessoas à loucura em suas intermináveis buscas é: o que as mulheres estão pensando? Bem aventurados aqueles que sobreviveram para saborear essa descoberta. O mesmo princípio vale para o Cartola FC. Como as cartoleiras pensam antes de escalar seus times? Posso dizer que sou feliz: eu sei a resposta! E vou compartilhar com vocês!

No Projeto Cartoleiras, participam mulheres do Brasil inteiro. Elas discutem, compartilham opiniões (e escalações) e estão fazendo parte de uma história muito bonita. Com o aumento do público feminino no Cartola FC, nada mais justo do que dedicarmos nosso tempo e atenção para essas mulheres que mandam muito bem no fantasy game do Campeonato Brasileiro.

É o caso da Raquel de Oliveira, professora carioca de História de 22 anos que está na 3ª posição da liga Cartoleiras SC, a liga feminina do Site Cartoleiros. Minhas agentes secretas entraram em contato com essa mitadora para saber qual o processo que utiliza na escalação do seu time no Cartola FC: o Inglorioso. Segundo a cartoleira, ela faz uma base de escalação logo após o fim da rodada, pois é mais fácil de lembrar dos acontecimentos que marcaram os confrontos e que podem influenciar negativamente na valorização dos atletas. Outra coisa que ela faz é acompanhar os sites de dicas e vídeo dicas no YouTube para analisar quais jogadores ela convocará para seu clube de fantasia. No entanto, ela deixa claro que é para efeito de comparação apenas e que não se atenta muito para não gerar dúvidas futuras. A pior coisa é escalar um time, modificá-lo e depois se arrepender por ter tirado o Mito da Rodada, certo?

Possibilidade de valorização e médias são as variáveis que ela utiliza para escalar os atletas ingloriosos. A posição em que o jogador atua também. O exemplo que ela usa para ilustrar é o fato de jogadores que estão definidos como Meia no Cartola FC, mas que atuam defensivamente dentro de campo. No caso, eles pontuarão menos que o normal, pois não terão os 5 pts de SG e não farão tantas jogadas que mereçam pontuação alta no fantasy, como assistências e gols. Para finalizar, ela tem um recadinho:

"Espero que essas informações ajudem as pessoas nas escalações, principalmente aos machistas que acham que mulheres não podem saber de futebol e de cartola, entretanto são os mesmos que pontuam muito menos do que nós."

Outra cartoleira que tem ótimas sugestões é a funcionária pública e estudante de Direito Lara Costa. Ela está 29ª posição da liga. Ela conta que tem um caderninho para anotar tudo sobre os atletas. A cada rodada, escolhe os 10 jogadores por posição que farão parte do Processo Seletivo da escalação final do Amíens FC, seu time no fantasy.

Ela se baseia nos seguintes critérios: times mandantes e jogos que ela considera fáceis. Outra coisa que ela analisa são as médias desses jogadores jogando dentro e fora de casa. Na segunda fase do seu PSC (Processo Seletivo Cartola), ela escolhe 5 jogadores e analisa cada um individualmente para ver quem sai e quem fica. Às "joias" ela dá atenção especial. São jogadores com boas pontuações na maioria das rodadas. Ufa! Depois desse ENEM versão Cartola FC, finalmente a nossa querida cartoleira escala o Amíens FC. Aqui ela deixa a sua estratégia final:

Como eu tenho três times, os jogadores que vou excluindo do meu time principal coloco no segundo time, e no terceiro coloco só apostas ou jogadores que tendem a valorizar

Para finalizar, temos as sugestões da cartoleira Natalia Cristina e seu time Sistemátticofc. Ela está na 55ª posição da liga e a dica que ela dá para escalar é: ESTUDAR!

A auxiliar de consultório dentário de 29 anos que vem de Serra - ES está sempre antenada nas novidades dos clubes através da Internet, por meio de sites de dicas, canais do YouTube e notícias dos clubes do Brasileirão. Outro lugar especial de onde vem as dicas é o grupo Cartoleiras SC no WhatsApp. Apesar de também fazer parte do Projeto Cartoleiras, eu não posso nem passar perto do grupo pelo simples fato de ser menino. O grupo é mantido pelas moderadoras Ana Madelli e Caroline Santo, minhas anjas da guarda e sempre presentes parceiras do projeto. Natalia explica que evita escalar jogadores desvalorizados para não perder cartoletas e que ainda está trabalhando para não escalar com o coração. Sobre isso, ela tem algo a dizer:

O mais difícil é deixar o coração de lado, cartola e clubismo não combinam, porém estou me aprimorando nisso. Acredito que esse seja o grande empecilho para que eu possa mitar.

Eaí, cartoleiros e cartoleiras. Gostaram das dicas? Então deixe seu carinho nos comentários. Aí vai outro segredo que aprendi sobre as mulheres: elas ADORAM elogios! A gente se encontra numa próxima. Até lá!

 
 
 
 
 
Copyright 2010-2016 © Cartoleiros - O número 1 do Cartola FC Privacidade | Site integrante do Cartola Club