Na Mosca #3: que a sorte esteja a nosso favor!

Ousadia, risco e medo: as três palavras que definem a vida do cartoleiro nesta rodada sem grandes favoritos. 




Não só de glórias vive um cartoleiro. Ainda que a Na Mosca tenha obtido uma boa valorização, chegando ao patrimônio de C$125.66, sua pontuação não foi das melhores - 59.36 pontos - mas visa uma grande mitada nas próximas rodadas, até porque tenho acertado na boa dose de ousadia colocada em minhas escalações durante esse campeonato. Acertos e erros a parte, venho ansioso para a próxima rodada, que ao meu ver, está extremamente difícil e será decidida na malandragem e originalidade dos players na hora da escalação. Como isso para mim não é problema, "vamo que vamo" e segue o baile.

Partindo para a escalação - que mais uma vez terá a formação 4-3-3-, começo com a defesa, como de costume. No gol, vou de Santos (CAP), o arqueiro rubro negro craque nas defesas difíceis. Nas laterais, arrisco mais uma vez no jovem Ayrton Lucas (FLU), que vem fazendo um belo início de temporada. Além disso, pela primeira vez, escalo o lateral especialista nos desarmes e sósia do Fred do Desimpedidos, Diogo Barbosa (PAL). Fechando a zaga, aposto no rodado e experiente Edu Dracena (PAL) e também no zagueiro que é um dos destaques do Atlético Paranaense, que recentemente alcançou a grande marca de 100 jogos pelo clube: trata-se do "General" Thiago Heleno (CAP).

No centro do gramado invisto nos craques. Representando os mineiros está o maestro Thiago Neves (CRU), minha esperança para grandes assistências e quem sabe até alguns golaços - principalmente os de falta, marca registrada do meio campista. Os paulistas vêm representados pelo badalado Lucas Lima (PAL) que, apesar de estar em uma fase não tão boa, possui uma qualidade incontestável e a confiança do treinador Roger Machado. Finalizando o meio de campo e retratando toda a áurea do atual futebol carioca, escalo Lucas Paquetá (FLA), um dos atuais ídolos da torcida Urubu e que desde cedo já colocou seu nome na história do Flamengo, sendo o responsável pelo gol mais rápido do clube na história do campeonato brasileiro, com 16 segundos de bola rolando no jogo com o Vitória no último dia 14 de abril.

Chegando mais à frente encontra-se o auge da minha ousadia, mais uma vez apostando em alguns garotos que vêm dando trabalho para os defensores adversários. Começo com o centroavante Pedro (FLU), o gentleman do tricolor - por conta de sua classe em campo e também por sua comemoração consagrada fazendo reverências à torcida - à quem concedo o título de capitão do meu time. Seguindo a identidade jovem, está a joia rubro negra Vinícius Júnior (FLA), aquele verdadeiro atacante driblador que causa pavor nos adversários. Finalizando o ataque está o famoso Rafael Moura (AFC), o He-man brasileiro.

Comandando essa verdadeira seleção (ou não né...) está o homem que inclusive era o guardião da seleção campeã olímpica em 2016, Rogério Micale (PAR), finalizando de vez o meu elenco para essa rodada 3 do brasileirão.



Na Mosca #3: que a sorte esteja a nosso favor! Na Mosca #3: que a sorte esteja a nosso favor! Reviewed by Gabriel Duarte on 4/26/2018 04:21:00 PM Rating: 5