Longe do Kremlin: os craques que estão fora da Copa

30 dias do início da Copa do Mundo 2018, escalamos os jogadores que mais farão falta na competição.



Dia 15 de maio de 2018: faltam exatamente 30 dias para o início da Copa do Mundo 2018. Se o Mundial tem sua abertura somente em junho, a expectativa dos torcedores e a preparação de jogadores e comissão técnica já começa muito antes da bola rolar nos gramados russos.

A convocação da seleção brasileira é o primeiro grande sinal de que a Copa está chegando e seguindo o caminho inverso da lista de Tite, montamos um time dos grandes craques que não estarão na Rússia. Confira!

Goleiro: Buffon

Todo bom time começa com um bom goleiro e, debaixo das traves, fica difícil citar ausência maior que a de Buffon. Um dos poucos a estar na seleta lista de jogadores que já participaram de 5 copas, o arqueiro italiano poderia entrar para a história sendo o primeiro a disputar 6 vezes o Mundial.

Entretanto, o azar na eliminatória ao cair no mesmo grupo da favorita Espanha mandou os italianos para brigar por uma vaga na repescagem. Em dois disputados jogos contra a Suécia, a apertada derrota de 1-0 no placar agregado decretou o país fora de uma Copa do Mundo após 60 anos. Buffon até chegou a se aposentar da Azzurra, mas o seu amor pela Itália o fez repensar a decisão e esquecer a tragédia.

Gianluigi no empate dianta da Macêdonia (Valerio Pennicino / Getty Images)

Laterais: Daniel Alves e Alaba

Dois dos melhores jogadores em sua posição do futebol mundial, Daniel Alves e Alaba estão fora da Rússia por motivos bastante diferentes. O brasileiro nos pegou de surpresa quando machucou o joelho direito na final da Copa da França, diante do Les Herbiers. Titular incontestável da Canarinho, Tite tem a missão de achar um substituto para o experiente lateral, que já tinha bastante entrosamento com seus companheiros de equipe - Marquinhos e Neymar.

"Quando eu senti a dor no meu joelho, minha alma saiu do meu corpo. Eu soube a partir do momento que eu caí no gramado que eu não ia conseguir estar no avião para a Copa do Mundo" Daniel Alves.

Alaba, defensor destaque do Bayern de Munique, não tem ao seu lado jogadores de seu país com a mesma qualidade apresentada na equipe bávara. Nas eliminatórias, mesmo participando do acessível grupo D, que também contava com Sérvia, Irlanda, País de Gales, Geórgia e Moldávia - todos ausentes da edição 2014, no Brasil - a Áustria fez uma campanha fraca, terminando na 4ª colocação com 15 pontos, 4 a menos que os irlandeses, que se classificaram para a repescagem.

Os austríacos não vão ao Mundial desde 1998 e sua melhor participação foi em 1954, quando conseguiram o 3º lugar na competição.

Zagueiros: Koscienly e Chiellini

Para encerrar nosso setor defensivo, é importante contar com zagueiros de confiança. Koscienly, atualmente no Arsenal, é mais um que está no departamento médico. O francês sofreu grave lesão no tendão de Aquiles e será um desfalque importante para o time de Didier Deschamps. Como opções, o treinador tem à sua disposição um leque de opções como Varane, Umtiti, Kimpembe e Mangala.

Chiellini é outro que fez parte do vexame italiano, que quebrou uma série de 14 mundiais disputados consecutivos pelo país (ficou de fora somente em 1930 e 1958). Acostumado a formar boas defesas, participou das Copas da África do Sul e Brasil, em ambas sendo eliminado na primeira fase. Ao contrário de Buffon, se aposentou definitivamente depois da eliminação para a Suécia. Heptacampeão nacional pela Juventus, não conseguiu repetir o mesmo sucesso vestindo azul e branco e nunca conquistou um título.

Meio de Campo: Vidal, Mahrez, Mkhitaryan

O meio de campo é o cérebro de qualquer equipe. Jogando mais recuado, nosso volante - dono de um chute forte e potente - é Arturo Vidal. O chileno foi mais uma vez campeão alemão com o Bayern, mas com a camisa de seu país decepcionou. Ganhador das duas últimas edições da Copa América, o Chile não conseguiu uma das cinco vagas para 2018.

3º lugar antes da última rodada das eliminatórias, a Roja caiu muito de produção nas partidas decisivas e acabou sendo ultrapassada por Peru, Colômbia e Argentina. Vidal foi eliminado pelo Brasil nas duas copas que disputou - nas oitavas de final de 2010 e 2014.

Sendo a principal estrela do Leicester, sensação do campeonato inglês de 2015/2016, Mahrez também não conseguiu garantir a classificação da Argélia. Após duas participações consecutivas, os argelinos tentavam a vaga para a Rússia no complicada chave de Nigéria, Camarões e Zâmbia. O fraco desempenho (apenas 22% de aproveitamento) deu aos argelinos o último lugar do grupo B. Especulado no Manchester City, o habilidoso meia canhoto terá sua falta sentida no território russo.

Mkhitaryan nasceu na Armênia, uma antiga república soviética. Desde que conquistou sua independência da URSS e se filiou a FIFA, na década de 1990, os armenos nunca conseguiram participar de um torneio oficial. A Euro2012 foi quando chegaram mais perto da vaga - a arbitragem no duelo contra a Irlanda foi muito contestada devido à expulsão injusta de Berezovskiy. O número 7 do Arsenal é o principal jogador armeno e o maior artilheiro da história da seleção. Para 2018, nem o fraco grupo D, que tinha como destaques Polônia e Dinamarca, facilitou as chances de Mkhitaryan - junto com seus compatriotas terminou em 5º lugar, com 7 pontos.

Chile fez 26 pontos em 18 rodadas: a mesma pontuação que o classificado Peru (Sky Sports)

Atacantes: Bale, Ibrahimovic e Sanchez

A melhor defesa é um bom ataque, portanto, citamos aqui três nomes de peso para nosso setor ofensivo. O galês do Real Madrid não vive o auge de sua carreira – amargando a reserva do jovem Isco. Se em seu clube Bale se tornou praticamente um reserva de luxo, representando País de Gales o jogador ainda é o protagonista do elenco com sua velocidade e ótima bola parada.

Os dragões até fizeram uma boa campanha na última Eurocopa, quando alcançaram a 3ª posição, contudo não conseguiram repetir o êxito no grupo de Sérvia e Irlanda e ficaram a uma vitória da repescagem. A única participação em mundiais dos galeses foi em 1958 – eliminados nas quartas de final.

Nosso camisa 9 até vai para a Rússia no meio do ano, mas apenas como um mero torcedor. Ibrahimovic, de 34 anos, se aposentou da seleção sueca após o fracasso na Euro - apenas um ponto e eliminação precoce na primeira fase. Entretanto, o que Ibra não contava era com o fim do jejum sueco de 12 anos sem participar de uma Copa. Emil Forsberg liderou o time contra as tradicionais Holanda e na repescagem, venceu a Itália. Em programa de TV norte-americano, o atacante do LA Galaxy até especulou sua “desaposentadoria”, porém logo a Federação Sueca tratou de desmentir a informação e esclarecer que o craque não seria mais convocado.

Para completar nosso time de desfalques, o veloz e driblador Alexis Sanchez. A melhor geração da história chilena fez um ciclo vitorioso no período entre 2014 e 2018. Todavia, na Copa das Confederações de 2017 já era possível observar que, talvez, aquela fosse a única vez que o país viajaria a Moscou e a outras cidades russas. Apesar do vice-campeonato, os comandados de Pizzi perderam a final por 3-0 e já davam sinais de desgaste. É a primeira vez desde 2006 que o Chile não participará do maior torneio do futebol mundial.

Não podemos deixar de citar um banco de reservas, em menções honrosas: Claudio Bravo, Alex Sandro, Barzagli, Verrati, Pjanic, Hamsik, Robben, Benzema e Dzeko.

E para você, quem vai fazer falta na Copa do Mundo 2018?

Por: Matheus Moura
Longe do Kremlin: os craques que estão fora da Copa Longe do Kremlin: os craques que estão fora da Copa Reviewed by Matheus Moura on 5/15/2018 08:53:00 AM Rating: 5