Na mosca #12: contando as horas

Pós desastre e pré copa: a última rodada antes do mundial traz a expectativa de redenção, um até logo ao Cartola e o início da união brasileira.


O hexa, aos poucos, se aproxima. Em tom de despedida, a 12ª rodada do brasileirão promete. Sabemos bem que o cartola terá uma pausa, é triste, porém, é para um bem maior. Por cerca de um mês, os gols de Róger Guedes, Pedro e Paquetá, os bons jogos de Yago Pikachu, os milagres de Jaílson e Sidão, e os desarmes e interceptações de Nino Paraíba e Victor Cuesta não estarão presentes. Clubismos que ecoam por todo o Brasil se tornarão o grito de uma só torcida. Agora, o que nos interessa é a Rússia, claro. Porém, ainda temos um compromisso: assegurar a estabilidade no Cartola antes da Copa.

Desafio esse, difícil, ainda mais pensando na baixa pontuação da rodada passada. Aliás, melhor nem comentá-la. Como o previsto, jogos que ao todo pareciam fáceis, trouxeram dificuldades e erros. Por sorte, ou habilidade - cabe a você julgar - até o momento asseguramos uma boa média e nossa situação está ligeiramente confortável se tratando de Cartola. Assim, confiante da mesma forma que Tite confia em seus aprendizes - modéstia à parte - , vamos a mais uma escalação, e a última antes do hexa, é claro.

Pensando em seleção brasileira, de cara começamos com um jogador que muito por ela fez: Jefferson (BOT), que por conta de ter vestido a camisa canarinho e de suas habilidades incontestáveis, levará o título de capitão nessa rodada - confiança cega no goleirão dá nisso. Seguindo, nas laterais, dois jogadores que atuam no sul do país, o experiente Léo Moura (GRE) e Júnior (PAR). Na zaga, se encontram jogadores que vêm tendo grande destaque no campeonato. São eles, Dedé (CRU), que após retornar de lesão no início do ano demonstra ter voltado com todo o seu potencial e força física, e Víctor Cuesta (INT), o jogador com mais desarmes no brasileirão - até então, 39.

No meio, começamos por Jadson (FLU). Apesar da pouca mídia e das fracas últimas atuações, ele é um dos destaques do tricolor no ano e peça essencial para o jovem time de Abel Braga, treinador que por diversas vezes rasgou elogios ao volante, inclusive afirmando que ele " é o tipo de jogador que encanta". Mais uma vez por aqui, Lucas Paquetá (FLA), o garoto de confiança. Responsável por trazer o futebol arte aos gramados por onde joga o rubro negro e dono de uma contagiante alegria nas pernas, dificilmente ele irá te desapontar. Seu preço é caro, C$21.30, mas vale o investimento.

Fechando o meio campo, Nenê (SPFC), o artilheiro do São Paulo na temporada. Apesar dos 36 anos, vem mostrando que é capaz de fazer muito ainda pelo futebol brasileiro. No último jogo, contra o Atlético Paranaense, fez o gol que decretou o fim do tabu: o tricolor nunca havia vencido na arena da baixada, até então. Portanto, dê um voto de confiança para ele. Além de seu ótimo preço, C$9.80, ele atuará em casa, contra o Vitória, que, em 11 rodadas já sofreu 20 gols - cerca de 1,8 por jogo.

A linha mais ofensiva deste elenco pesa por conta de seus atacantes. Iniciando-os, Wellington Paulista (CHA). Em baixa nos jogos anteriores, certamente esse último jogo antes da parada para a copa servirá de inspiração para ele, que visa alcançar a artilharia do campeonato.

Tratando disso, os dois próximos atacantes, que fecham o elenco dessa rodada, nada mais nada menos são do que os artilheiros do campeonato. Róger Guedes (CAM), que teve seu nome aclamado pela torcida do galo, que pedia sua permanência no time após a partida contra o Fluminense, e ainda, um dos personagens marcantes desse mesmo jogo: Pedro (FLU), que marcou um gol no duelo e segue firme na disputa entre goleadores. Vale ressaltar também, que o garoto, elogiado por Ricardo Oliveira - que o destacou como futuro da seleção -, joga contra o Santos, 18° pior visitante da competição, em casa, no Maracanã. Então, há de se esperar gols da promessa, que na verdade, já é realidade no tricolor.

À frente dessa esquadra, o técnico Gilson Kleina (CHA).

Na mosca #12: contando as horas Na mosca #12: contando as horas Reviewed by Gabriel Duarte on 6/12/2018 05:44:00 PM Rating: 5