Pouco futebol e muitas zebras: veja como foi o início da Copa

Brasil joga sexta-feira contra a Costa Rica


Pouco futebol e muita emoção — assim podemos definir como foi a primeira rodada da Copa do Mundo. Com confrontos repletos de lances inusitados e defesas bem postadas, a maioria dos duelos vem sendo decidido nos mínimos detalhes. Se o equilíbrio é praticamente unânime em todas as partidas, a bola parada é cada vez mais importante e, golaços como o de Quintero e de Cristiano Ronaldo, com certeza ficarão marcados na história.

Anfitriã empolgando


Sem dúvida alguma, uma das maiores surpresas até o momento foi a goleada russa por 5 a 0 diante da Arábia Saudita na abertura da Copa. A seleção da casa até era favorita para o jogo, tanto por ser a anfitriã como pelo fato dos árabes apresentarem um dos times mais fracos de todos os presentes no Mundial. No entanto, nem o mais otimista dos russos esperava uma atuação tão convincente de um país que não havia ganho um jogo sequer em 2018. Com 3 pontos, Golovin, Cheryshev e companhia aproximaram-se da classificação e têm, contra o Egito, uma partida crucial para decidir quem fica com uma das vagas nas oitavas.

A popularidade de Putin


Muito criticado e com fama de polêmico pelos ocidentais, Putin demonstrou ser bastante popular em seu país. Foi aplaudido em seu discurso na abertura, mesmo enfrentando uma recente crise econômica e denúncias nas mais variadas áreas, que vão desde o esporte e o esquema estatal de doping até aos direitos humanos, já que a Rússia é um dos países que menos toleram homossexuais em todo o Mundo.

 O presidente conseguiu se reeleger com facilidade no pleito de março, quando recebeu mais de 56 milhões de votos (75% do total). Como em todas as suas ações, a eleição também ficou marcada por controvérsias: Alexei Navalny, principal opositor do presidente, foi acusado de corrupção e não teve a oportunidade de concorrer à presidência.

Zebras na Rússia


Em uma Copa do Mundo já sem Itália e Holanda, as zebras continuaram a aparecer dentro do mundial. A bicampeã Argentina não conseguiu passar de um empate de 1 a 1 contra a Islândia, que segue surpreendendo a todos após ótima campanha na Eurocopa e nas eliminatórias. Outros que tropeçaram foram nossos algozes alemães. A atual campeã não conseguiu furar a defesa mexicana e sofreu com os contra ataques, sobretudo no primeiro tempo.

Para quem pensou que a gente ia ficar fora dessa lista, está completamente enganado. O Brasil, apesar da força dos suíços, era favorito para a estreia. Com Neymar apagado, a Canarinho empatou por 1 a 1, com muitas reclamações sobre um suposto pênalti em Gabriel Jesus e um empurrão em Miranda que resultou no gol da Suíça.

VAR: o arbitro de vídeo já deu suas caras


Muito usada em outros esportes como o tênis e o vôlei, a tecnologia de replay finalmente chega aos campos da maior competição de futebol. Até o momento, o árbitro de vídeo alterou, de maneira eficiente e rápida, diversas decisões cruciais para o andamento das partidas, como os pênaltis sofridos por Cueva, Griezmann e Claesson. Em todas as decisões, o vídeo foi fundamental para o resultado final dos jogos, já que o Peru foi derrotado por 1 a 0 (Cueva desperdiçou a cobrança) e Suécia e França venceram por somente um gol de diferença.

A torcida brasileira ficou na bronca com a arbitragem do seu primeiro jogo pela não consulta àss revisões das jogadas. Galvão Bueno, durante a transmissão, considerou a decisão como “a desmoralização do árbitro de vídeo”. A FIFA considerou correta as marcações do juiz mexicano César Ramos.

Muita polêmica, pouco futebol


Com zebra ou sem zebra, uma coisa é clara: por enquanto, o futebol visto na Rússia está longe de ser o mais vistoso. Alemanha, Argentina e Brasil não agradaram e seus placares já mostram isso. No entanto, outros países tradicionais como Inglaterra, França e Uruguai venceram por pouco e sem jogar bem, mesmo contra adversários considerados mais fracos. Ofensivamente, são poucas as chances reais de gols criadas, muito por conta dos sistemas defensivos que dão cada vez menos espaço para quem ataca. Com isso, a principal arma das seleções vêm sendo a bola parada: 17 dos 32 gols marcados, 53% do total.

O artilheiro


Se a maioria das partidas termina com placares tímidos, Portugal e Espanha fizeram exatamente o oposto disso. Em um 3 a 3 muito agitado, Cristiano Ronaldo comandou os gajos marcando os três gols portugueses no clássico. Logo no começo, sofreu e converteu um pênalti. Depois, contou com a falha do goleiro De Gea para marcar novamente. No final do segundo tempo, quando os portugueses perdiam por um gol de diferença, Cristiano sofreu falta perto da área e cobrou com perfeição no ângulo espanhol. Foi a maior atuação do português em Copas do Mundo.

A segunda rodada começa hoje, com Rússia e Egito às 15:00.
Pouco futebol e muitas zebras: veja como foi o início da Copa Pouco futebol e muitas zebras: veja como foi o início da Copa Reviewed by Matheus Moura on 6/19/2018 11:27:00 AM Rating: 5