Na Mosca #19: calma, ainda tem campeonato.

A boa fase vem e tende a continuar: rodada de conclusão do primeiro turno do brasileirão e início das novas mitadas.





Fim da primeira metade do Brasileirão. Para muitos, um recomeço. Para outros, apenas continuação de uma boa sequência. O fato é que agora não tem mais jeito, é o momento da arrancada final. É complicado, o campeonato está extremamente disputado e poucos pontos separam colocações bem distintas, mas ainda há tempo. Muitos por agora desistem do Cartola e desanimam pelas boas pontuações não virem, sabemos bem como é, mas calma, estamos aqui pra isso. 

Como todo ser humano erramos. Por vezes somos teimosos, mas é daquele jeito né, por mais que a gente busque inovar, vamos estar presos aos nossos favoritismos e preferências... E tudo bem! Na última rodada o desempenho da Na Mosca voltou a melhorar, atingindo a casa dos 70 pontos. Nesse ritmo, meio a fechamento de ciclo e renovações - como a da seleção brasileira, que beleza - buscamos continuar assim até o final do brasileiro, sempre do nosso jeitinho, claro.

Pois bem, para dar início aos trabalhos vamos com o rei do Horto, "São Victor" (CAM). Detentor de 28 defesas difíceis neste campeonato, o goleiro não enfrenta seu melhor momento nos gramados, mas tem créditos de sobra para ter seu nome por aqui. Além do mais, joga contra um Botafogo que possui média de quase 11 finalizações por jogo, portanto, Victor vai trabalhar, o que é bom pra nós.

Aos lados, jogadores completamente distintos, mas de muita qualidade defensiva e ofensiva. Com 44 roubadas de bola e uma marca invejável de 9 partidas sem sofrer gols, o lateral Renê (FLA). Junto a ele, um jogador digno de seleção brasileira - por que não? -  e grande destaque do alvinegro cruzmaltino, Yago Pikachu (VAS). Apesar de enfrentar o Ceará num momento de acensão, o Vasco joga em casa e busca retomar seus bons resultados visando a parte superior da tabela. São Januário vai tremer, acredite.

Fechando a linha de defesa, uma zaga com representantes do maior e do segundo maior clube de minas - qual dos clubes é o maior ou não fica a seu critério. Ídolo do galo e zagueiro artilheiro, o xerifão Leonardo Silva (CAM), com 2 gols e 87% de precisão em seus passes neste brasileirão. Com um poder de superação incomum após seguidas lesões, Dedé (CRU), que agora volta a vestir a camisa canarinho após convocação - merecidíssima - do técnico Tite. O Dedé é gigante. 

Indo adiante, no meio campo, poucas surpresas. Nenê (SPFC), eliminado da Sulamericana, volta ao brasileiro contra a Chapecoense com foco total. O meia é um dos artilheiros do campeonato, com 7 gols, então, acredita-se que empenho e motivação ele terá de sobra nessa reta final. Seguir o líder vai ser um pouco mais complicado - ou não. 

Por falar em seguir o líder, Lucas Paquetá (FLA), sim, de novo. O garoto vive momento especial na carreira: é destaque do Flamengo no ano, foi convocado para a seleção brasileira e, sobretudo, é o rei dos passinhos no Rio de Janeiro. Ainda, é a esperança para a quebra de um tabu no jogo contra o Atlético Paranaense: o Flamengo não vence o time Paranaense em Curitiba há 44 anos pelo Brasileirão.  Para se ter uma noção de tamanho desafio, os gols da última vitória lá em Curitiba foram marcados por Zico e Paulinho, em 1974. "Tabus" à parte, finalizando os meias dessa rodada, o atual líder do Palmeiras, Bruno Henrique (PAL), baratinho - C$10.86 -, vale o investimento.

O ataque dispensa comentários, mas tentaremos dar algumas palavrinhas. Enfrentando o lanterna Paraná, marcando gols e com enorme disputa de posição, Willian Pottker (INT). O time gaúcho está repleto de bons atacantes, poucas vagas, e agora um tal de Paolo Guerrero. A disputa vai ser acirrada e Pottker precisa da sua boa sequência para continuar como titular do colorado.

Mais um dos recentemente convocados por Tite, o jovem e brilhante centroavante e mais uma vez capitão, Pedro (FLU). Nem tem mais o que se falar do garoto, apenas escale. Fechando o elenco e valendo pouca grana - apenas 45 milhões de euros -, o craque santista, que, convenhamos, merecia um lugarzinho ali naquela lista da seleção, Rodrygo (SAN).  Pena do Sport, porque nessa rodada sinto que ele vai dar trabalho.

Interino, nesta rodada temos Valdir (VAS) como treinador. Pouca mídia, muito bigode, pura habilidade. Torcemos por seu sucesso.


Na Mosca #19: calma, ainda tem campeonato. Na Mosca #19: calma, ainda tem campeonato. Reviewed by Gabriel Duarte on 8/17/2018 06:56:00 PM Rating: 5